25 abril 2012

Problemática: Magra demais?


Que todo mundo aqui quer ter um corpo esbelto, sem aqueles pneuzinhos que aparecem quando você coloca aquele vestido ou uma roupa mais apertada, é fato. Podemos nos aceitar muito bem do jeito que somos, ter a auto estima lá em cima e estar super bem resolvidas (os) com nosso físico atual mas, se pudéssemos dar uma melhorada, quem negaria?
O problema é que grande parte das mulheres ainda sofre com a ditadura da magreza. E eu me arrisco a dizer que não é mais pelo "padrão que a mídia impõe" como sempre argumentam. As mulheres se acostumaram a exigir muito de si nesse quesito e querer, sempre, ter menos "gordurinhas" do que azamigas. Se você é modelo, bailarina (o), ou possui outra profissão que exige um físico mais esquelético, tudo bem. Mas temos que encontrar o ponto de equilíbrio entre o magro e o saudável. 


Na semana passada Alexa Chung se viu no meio de uma polêmica generalizada em seu Instagram. Tudo isso porque postou uma foto (Com sua mãe) onde ela estava, aparentemente, "magra demais". Uma avalanche de comentários esculachando a bichinha, acusando-a de promover a anorexia e impor um padrão de magreza nada saudável.




Tanto é que o Instagram divulgou nesse fim de semana (Assim, eu suponho que tenha sido por isso já que gerou tanta repercussão e se refere diretamente a isso) novas regras pra tentar combater incentivo à disturbios alimentares: "Qualquer conta que encorajar usuários a abraçar a anorexia, bulimia e outros disturbios alimentares ou ainda automutilação e suicídio será deletada automaticamente. Acreditamos que a divulgação desses temas de forma a combatê-los é importante, mas o Instagram não é lugar para glorificação de lesões autoinfringidas." 

Eu acredito no saudável. O problema não está em ser magro (a), e sim no quanto você está "perdendo" com isso. Há pessoas naturalmente magééérrimas mas que possuem taxas normais e a saúde em perfeito estado!
Eu tenho amigas que passam dois dias com uma maçã no estômago? Tenho sim! Gente, eu sou bailarina (a gorda da turma, mas sou.) e sei o que é conviver com uma enxurrada de "Meu Deus, que pernas grossas! Você está gorda! Não pode ficar assim!", mas nunca abri mão da minha saúde por isso. E também tenho que entender que meu biotipo não é esse! Por mais que eu queira não vou ser a magrela da turma! Quero emagrecer mais? Quero sim! Nunca neguei! Mas jamais farei da forma errada. Faço musculação, corro, danço e, o mais importante: Minha alimentação é completa e balanceada.
Eu acho que a Chung tá precisando de um feijão preto com batata doce sim! Uma macaxeirazinha com um queijinho de coalho... Assim como Angelina Jolie, que é uma gata das mais gatas do universo, mas que estava puro osso no último Oscar. "Aflição" foi o sentimento ao vê-la andando.

Então, lembrem-se: SAÚDE EM PRIMEIRO LUGAR! O problema não é ser magra e sim comprometer seu organismo em busca de uma magreza absurda que não comporta seu biotipo!

Rodem a baiana (Aprendi isso com minhas amigas de Salvador e tou me achando a Oxente, meu Rei!) nos comentários!